Fitoesterois no manejo do colesterol alto

Fitoesterois são moléculas semelhantes ao colesterol encontradas em certas plantas como a soja. Aparentemente os fitoesterois diminuem a absorção do colesterol ingerido através da dieta e este efeito pode ser potencialmente benéfico. A indústria alimentícia já fornece alguns alimentos como margarinas e derivados lácteos suplementados com fitoesterois com a promessa de proteção do coração e vasos. Mas será que esses produtos realmente cumprem o que prometem?

Os dois principais produtos disponíveis no mercado brasileiro são a margarina Becel®, que acrescenta fitoesterois à sua fórmula, e a linha ActiCol® de derivados lácteos, que acrescenta uma mistura de fitoesterois e fitoestanois aos seus produtos. Diferentes estudos avaliaram o efeito de fitoesterois e fitoestanois sobre os níveis de colesterol. Nestes estudos o consumo alvo de esterois e estanois foi respectivamente de 1,7 e 3,2 gramas por dia. Em média, os níveis de colesterol LDL (ruim) foram reduzidos em até 15%, mesmo em pacientes que já faziam uso de estatinas (medicação para reduzir os níveis de colesterol). No entanto, devemos interpretar estes dados com cuidado.

margarina

Uma vez que os estudos incluíram um número pequeno de participantes por períodos de tempo de até 3 meses, ainda não podemos dizer que esta redução nos níveis de colesterol se reflete em redução de problemas cardíacos e vasculares. Aliás, alguns fitoesterois podem ser absorvidos, e existem evidências em estudos com animais que este acúmulo pode levar ao entupimento dos vasos sanguíneos, isto é, à aterosclerose. Outro potencial efeito adverso é a redução na absorção de vitaminas lipossolúveis A, D, E e K. Considerando isso, o Comitê Nutricional da Associação Americana do Coração (American Heart Association – AHA) NÃO RECOMENDA o uso destes produtos pela população geral até que estudos maiores tragam maiores informações sobre o real risco-benefício.

Logo, se você faz ou pretende fazer uso de algum “produto natural” para reduzir o colesterol, procure orientação médica. Nem tudo que se diz “natural” necessariamente faz bem à saúde.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

Mestre em Endocrinologia

CREMERS 30.576

www.facebook.com/drmateusendocrino

Deixe uma resposta