Câncer de tireoide: o que você precisa saber

Câncer. Eis uma palavra que assusta qualquer pessoa. Como qualquer órgão ou tecido, a tireoide também está sujeita ao crescimento desenfreado das células.

O câncer de tireoide é uma doença relativamente comum. Cerca de 1% da população recebe este diagnóstico anualmente. A maioria dessas pessoas são mulheres com mais de 40 anos.

Primeira grande dúvida: como podemos desconfiar desta doença para que possamos diagnosticá-la? No início, o câncer de tireoide é pouco sintomático. Na maioria dos casos, a doença se apresenta com um nódulo (caroço) firme e indolor na região anterior do pescoço. Importante frisar que nem todo nódulo de tireoide é câncer! De fato, a maioria dos nódulos é benigno. Sintomas como crescimento rápido, rouquidão e sintomas compressivos, como dificuldade de engolir ou de respirar, são muito sugestivos de que o nódulo possa ser maligno.

bocio-difuso-3

No entanto, para se confirmar ou descartar o diagnóstico, uma avaliação pormenorizada precisa ser feita. Esta consiste em consulta com o médico endocrinologista, exames de imagem, exames de sangue e punção do nódulo suspeito.

Como a tireoide se localiza logo abaixo da pele, o exame físico bem realizado, com simples inspeção e palpação, já traz informações importantes como tamanho, consistência e sinais de invasão do tumor. Além disso, o médico procura por ínguas que possam sugerir metástases.

Após a consulta, o endocrinologista solicita, como exame de imagem de escolha, uma ultrassonografia ou ecografia da tireoide. Através deste exame, o nódulo suspeito será avaliado minuciosamente. Além disso, usa-se a ecografia para planejar e guiar a punção com agulha fina.

A punção aspirativa com agulha fina, ou simplesmente PAAF, é o principal exame na avaliação do câncer de tireoide. Através de uma agulha muito fina, retira-se uma amostra de células que é avaliada no microscópio. Esse exame identifica qual o tipo de tumor. Esta informação é de extrema importância para definição do tratamento.

Via de regra, o tratamento do câncer de tireoide é cirúrgico. A extensão da cirurgia vai depender do tipo do câncer e do seu estadiamento, além das condições clínicas do paciente. Após a cirurgia, os pacientes com tumores do tipo papilífero e folicular recebem uma dose de iodo radioativo, além de tratamento com hormônio tireoidiano em doses supressivas. Todo o paciente com história de câncer de tireoide deve manter acompanhamento endocrinológico por tempo indeterminado. Este acompanhamento visa identificar e tratar qualquer possível recidiva.

Em resumo, o câncer de tireoide apesar de prevalente, responde muito bem ao tratamento quando identificado precocemente e tratado de forma apropriada. Logo, a menor suspeita, procure um endocrinologista para avaliação especializada.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

Mestre em Endocrinologia

CREMERS 30.576

www.facebook.com/drmateusendocrino

drmateusendocrino.blogspot.com.br

Deixe uma resposta