Medicamentos para o tratamento do diabetes tipo 2: a acarbose

A acarbose é o único representante da classe dos inibidores da alfa-glucosidase disponível no mercado brasileiro. Esses medicamentos foram extensivamente estudados na Europa e no Japão e estão disponíveis para o tratamento do diabetes mellitus tipo 2 inclusive nos Estados Unidos.

A acarbose exerce seu efeito inibindo a enzima intestinal responsável por digerir os carboidratos complexos em monossacarídeos. Sem essa digestão, não conseguimos absorver prontamente os açúcares, e a glicose no sangue não tem picos, principalmente após as refeições.

acarbose

Várias pesquisas evidenciam a eficácia da acarbose no tratamento do diabetes. Nos diferentes estudos, tanto a glicemia em jejum, quanto a pós alimentação e a hemoglobina glicada foram menores nos participantes que fizeram uso da acarbose, sem hipoglicemias ou aumento de peso. Apesar de não ser um medicamento potente na redução da glicose, a acarbose possui uma característica que apenas a metformina também compartilha: foi capaz de reduzir a incidência de eventos cardiovasculares, principalmente infarto do miocárdio, em 49 porcento. Outra vantagem da acarbose é o custo relativamente baixo quando comparado a outros medicamentos para tratamento do diabetes.

Mas se a acarbose reúne custo acessível, segurança e eficácia, por que é pouco prescrita? Dois motivos podem explicar essa situação. Em alguns estudos com acarbose, a dose utilizada foi o dobro da dose máxima efetiva. Para o mesmo efeito farmacológico, houve mais efeitos adversos, principalmente flatulência e desconforto abdominal. Isso criou a cultura de que a acarbose é um medicamento com baixa tolerabilidade, o que não é verdade quando usamos a dose correta. O segundo e possivelmente o principal motivo é a grande pressão da indústria farmacêutica sobre os médicos para que sejam prescritos medicamentos mais novos, que nem sempre são melhores.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Medico Endocrinologista

Mestre em Endocrinologia

CREMERS 30.576

www.facebook.com/drmateusendocrino

drmateusendocrino.blogspot.com.br

Deixe uma resposta