Orlistat no tratamento farmacológico do excesso de peso

O orlistat está entre os medicamentos aprovados para o tratamento da obesidade no Brasil. Normalmente, cerca de 30 porcento das calorias que ingerimos vêm das gorduras. Para que as gorduras sejam absorvidas no intestino, primeiro elas precisam ser digeridas pelas enzimas secretadas pelo pâncreas. O orlistat age bloqueando a enzima conhecida como lipase, o que acaba por reduzir em 30 porcento a absorção de gorduras.

Vários estudos mostram que o orlistat é um medicamento eficaz como auxiliar no emagrecimento. Quando comparado ao placebo (cápsula sem efeito), o orlistat é capaz de reduzir o peso em até 3,9 quilos. Além disso, em pacientes obesos, o uso de orlistat parece estar associado a redução da pressão arterial e nos níveis de colesterol.

orlistat-pellets

O orlistat está indicado para pacientes obesos, isto é, com índice de massa corporal (IMC) maior ou igual a 30 kg/m2 ou com IMC maior ou igual a 27 kg/m2 + comorbidades como diabetes mellitus, pressão alta ou colesterol alto.

Estes pacientes com indicação devem saber que o tratamento com orlistat tem custo elevado, além de estar associado a efeitos adversos frequentes. Mais uma vez, 30 porcento tem flatulência, inchaço abdominal, cólicas, borborinhos e perda de gordura pelo ânus. Além disso, recomenda-se o uso concomitante de suplementação vitamínica, pois pode haver deficiência de vitaminas A, D, E e K, que são lipossolúveis.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

CREMERS 30.576

mateusdsevero@gmail.com

Deixe uma resposta