Vacinação no paciente diabético: hepatite B

A vacina contra hepatite B já era indicada para toda criança/adolescente com menos de 18 anos, além de pessoas com risco aumentado de infecção pelo vírus da hepatite B como trabalhadores da área da saúde. Recentemente, o CDC (órgão norte-americano responsável pelo controle de doenças) incluiu pacientes diabéticos nas indicações de vacinação.

Após estudo conduzido pelo CDC, percebeu-se que pacientes diabéticos com menos de 60 anos, tanto do tipo 1 quanto do tipo 2, têm risco 2 vezes maior de contrair hepatite B quando comparados a pessoas sem diabetes com a mesma idade. Nos pacientes diabéticos com mais de 60 anos, o risco também foi um pouco maior, mas sem significância estatística, ou seja, este pequeno aumento do risco nos idosos pode não ser real.

Segundo a nova recomendação, todo paciente diabético com menos de 60 anos, desde o momento do diagnóstico, deve ser imunizado contra a hepatite B caso ainda não tenha recebido a vacina. São três doses feitas com 0, 1 e 6 meses de intervalo. Os pacientes diabéticos com mais de 60 anos também podem ser vacinados, principalmente se viverem em instituições como asilos ou casas geriátricas. Contudo a eficácia da vacina parece ser menor nos idosos.

A prevenção contra hepatite B é muito importante já que se trata de uma doença facilmente transmissível através de sangue e outros fluidos. Cerca de 40% dos pacientes precisam de hospitalização na infecção aguda e 4% morrem de complicações. Além disso, 5% dos pacientes tornam-se portadores crônicos do vírus e destes, 15% progridem para cirrose e/ou câncer de fígado.

Se você é diabético, evite compartilhar insulinas, canetas, seringas ou glicosímetros. Além disso, exija do seu médico encaminhamento para vacinação através da rede pública.

Fonte: Medscape

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

CREMERS 30.576

mateusdsevero@gmail.com

Deixe uma resposta