Cuidados com os pés no paciente com diabetes mellitus

Problemas nos pés são frequentes em pacientes diabéticos. Felizmente, a maioria destas complicações pode ser prevenida através de monitorização cuidadosa. O paciente diabético deve ter como rotina diária o autocuidado dos pés.

O diabetes mellitus pode levar a uma série de complicações nos pés, entre elas: micoses, calos, joanetes e outras deformidades, além de feridas que podem ser superficiais ou tão profundas a ponto de alcançar os ossos.

pe diabetes mateus severo endocrinologia

As lesões encontradas nos pés dos pacientes diabéticos têm como causa a má circulação sanguínea e a lesão dos nervos, ambas causadas pelos níveis elevados de glicose. O fluxo sanguíneo diminuído aliado à diminuição da sensibilidade predispõe a feridas de difícil cicatrização. Estima-se que 5 de cada 100 pacientes diabéticos precisam ser amputados devido a problemas nos pés.

O paciente diabético deve ter seus pés examinados por um endocrinologista pelo menos uma vez ao ano. Durante o exame, o médico avalia a circulação, a pele, os nervos e procura por deformidades. Para isto palpa os pulsos e testa a sensibilidade dos pés através de instrumentos específicos como o monofilamento e o diapasão. Qualquer alteração encontrada deve ser tratada e/ou monitorada para que se evitem lesões mais graves.

Além do exame médico, são medidas importantes no cuidado dos pés do paciente diabético:

– evitar o cigarro, já que o fumo prejudica a circulação;

– ter cuidado ao cortar as unhas, evitando retirar as cutículas ou deixa-las encravadas;

– lavar, secar e hidratar os pés diariamente. Durante este processo procurar por abrasões, áreas avermelhadas, bolhas ou qualquer tipo de ferida, principalmente na planta e entre os dedos;

– evitar andar descalço ou usar calçados apertados e desconfortáveis.

Respeitadas estas medidas, os problemas nos pés dificilmente surgirão. Contudo, caso se perceba qualquer lesão, o médico deverá ser prontamente consultado para que o tratamento seja rapidamente instituído e se evite assim a temida amputação.

Fonte: UpToDate

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

CREMERS 30.576

mateusdsevero@gmail.com

Deixe uma resposta