Cirurgia para obesidade: a cura do diabete não é tão simples quanto se imaginava

Segundo o Dr. Dimitrios J. Pournaras, ao contrário do que se imaginava, a cirurgia para obesidade (cirurgia bariátrica) não pode ser considerada como um meio de curar a o diabete mélito tipo 2, mas sim com uma alternativa de tratamento para melhorar o controle da glicose, isto é, baixar as taxas de açúcar no sangue.

Neste mês de janeiro, o Dr. Dimitrios publicou na revista médica “British Journal of Surgery” dados de 209 pacientes diabéticos que foram acompanhados por 23 meses após a cirurgia. Como os critérios de remissão (“cura”) do diabete após a cirurgia mudaram, os pacientes considerados “curados” não foram mais 57,5, mas 40,6 por cento (no grupo que realizou by-pass gástrico, ou seja, além da diminuição no tamanho do estômago, se fez um desvio no intestino).

obesidade_morbida_mateus_severo_endocrinologia

Os procedimentos cirúrgicos unicamente restritivos, ou seja, que somente reduzem o tamanho do estômago, conseguiram a remissão do diabete em 7 a 26 por cento dos pacientes.

Além disso, entre 30 e 80 por cento dos pacientes precisaram seguir usando algum tipo de medicamento após a cirurgia para baixar os níveis de açúcar no sangue.

Conclusão: apesar de ser uma ótima alternativa para tratamento dos níveis elevados de glicose, a cirurgia bariátrica ainda não pode ser considerada como procedimento curativo para o diabete.

Você que é obeso e possui diabete mélito tipo 2, procure seu endocrinologista e cirurgião para discutir qual o melhor tipo de cirurgia, além dos prós e dos contras. A compreensão do tratamento e o acompanhamento adequado são peças fundamentais para o controle da doença.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

CREMERS 30.576

mateusdsevero@gmail.com

Deixe uma resposta