Tratamento medicamentoso do diabete mélito tipo 2: metformina, o bom e barato

O tratamento de doenças através de chás e plantas não deve ser encorajado. Apesar de muitas plantas realmente terem um princípio ativo, é difícil, para não dizer impossível, saber o quanto e o que se está realmente consumindo. Isso, contudo, não diminui a importância da sabedoria popular. Vários medicamentos foram desenvolvidos através de plantas, entre eles a metformina, que até hoje é o melhor e mais barato medicamento para o tratamento do diabete mélito tipo 2.

A metformina deriva de uma classe de substâncias chamadas biguanidas. O efeito das biguanidas no tratamento do diabete é conhecido desde a Idade Média, quando os aldeões diabéticos tomavam chá da planta Galega officinalis para se tratar.

metformina

A metformina é um remédio bastante antigo também. Está no mercado desde 1950. E estes mais de 60 anos de uso permitiram que ela fosse muito estudada, mostrando com clareza todos seus benefícios e possíveis riscos.

No diabete tipo 2, a insulina produzida pelo pâncreas não funciona direito, ou seja, existe uma resistência a sua ação. A insulina é a responsável por fazer com que a glicose (açúcar do sangue) seja devidamente utilizada pelas células. Logo, com as células resistentes a ação da insulina, a glicose começa a subir no sangue e o diabete acaba por aparecer. A metformina age exatamente neste ponto. Ela diminui a resistência a insulina, facilitando a captação de glicose pelas células.

Além dos efeitos benéficos sobre a glicose, a metformina diminui o ganho de peso, melhora os níveis de colesterol e reduz a deposição de gordura visceral (a gordura depositada na barriga que se associa a doenças cardíacas e vasculares). Talvez seja por isso que a metformina hoje seja o único medicamento para o tratamento do diabete que reduz mortalidade por causas cardíacas e vasculares. Além disso, os pacientes diabéticos que fazem uso de metformina tem um risco menor de mortalidade por qualquer causa e de desenvolver câncer no trato gastrointestinal. Outras vantagens da metformina são não causar hipoglicemia (diminuição da glicose do sangue que causa sintomas como tremor, tonturas e suor frio) e ser muito barata. Atualmente a metformina é distribuída gratuitamente no Brasil pelo Governo Federal no sistema de Farmácias Populares, desde que o paciente apresente a receita médica.

Alguns pacientes apresentam efeitos adversos. Entre os mais comuns estão a diarréia e o inchaço e a dor abdominal. Contudo estes efeitos podem ser manejados através do ajuste da dose ou do uso da metformina de liberação prolongada.

Apesar, deste ótimo custo benefício, a metformina tem algumas contra-indicações. Por exemplo: pacientes com doença renal crônica tem risco de intoxicação.

Se você é diabético, procure seu endocrinologista e discuta com ele as diferentes opções de tratamento e procure conhecê-las. Ao contrário do que se pensa, nem sempre o novo e caro é melhor que o antigo e barato. O maior exemplo disso é a metformina!

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576
mateusdsevero@gmail.com

Deixe uma resposta