Hirsutismo: crescimento excessivo de pelos em mulheres

O que é hirsutismo?

Chamamos de hirsutismo o crescimento excessivo de pelos grossos e escuros em áreas do corpo onde apenas os homens deveriam te-los. Essas áreas são:

– lábio superior (região do bigode);
– queixo;
– área das costeletas;
– peito;
– barriga;
– costas;
– coxas.

É uma condição muito comum, afetando 1 em cada 10 mulheres antes da menopausa (última menstruação).

hirsutismo

Quais são as causas do hirsutismo?

Muitas mulheres têm hirsutismo devido a sua genética, ou seja, possuem mães ou irmãs também com excesso de pelos. Outras, porém, têm hirsutismo devido a altos níveis de hormônios masculinos no sangue, os androgênios.

A principal condição que leva ao aumento dos androgênios e hirsutismo é a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). Contudo, existem outras causas menos frequentes como tumores de ovário e doenças das glândulas adrenais.

Que outros sinais/sintomas podem estar associados ao hirsutismo?

Nas mulheres com SOP, além do hirsutismo pode haver:

– alterações menstruais;
– queda de cabelo;
– acne;
excesso de peso.

Quando os androgênios estão muito elevados, pode ainda ocorrer virilização, ou seja, aumento da massa muscular, mudança do timbre da voz e calvície. Nesses casos, a avaliação deve ser rápida, pois os sintomas podem dever-se a um tumor.

Que exames são necessários na avaliação do hirsutismo?

Dependendo do caso, pode-se lançar mão dos seguintes exames:

– exames de sangue para dosagem dos androgênios;
– ecografia (ultrassonografia) pélvica para avaliação dos ovários;
– em alguns casos selecionados, exames de imagem da adrenal e testes hormonais.

Como é feito o tratamento do hirsutismo?

Dependendo da causa, o hirsutismo pode ser tratado com:

– pílula anticoncepcional oral;
– remédios chamados anti-androgênios, que diminuem os níveis ou bloqueiam a ação dos androgênios
– medidas locais como depilação convencional com lâmina ou cera, ou definitiva com laser ou eletrólise.

Se você se sente incomodada com o excesso de pelos, procure o endocrinologista e faça uma avaliação para identificar a causa e receber o tratamento apropriado.

Dr. Mateus Dornelles Severo

Médico Endocrinologista

Mestre em Endocrinologia

CREMERS 30.576

www.facebook.com/drmateusendocrino

Deixe uma resposta