Transtornos alimentares: o sucesso do tratamento depende do trabalho em equipe

O que são os transtornos alimentares?

São distúrbios na percepção corporal e no comportamento alimentar que resultam em alterações físicas e psicológicas. São mais comuns em mulheres jovens e podem gerar consequências graves à saúde como insuficiência renal e doenças cardíacas. Podem ainda associar-se a outros transtornos psiquiátricos, que devem ser tratados concomitantemente, como a ansiedade, a depressão e os transtornos da personalidade.

slide_5

Qual a causa dos transtornos alimentares?

Fatores biológicos, entre eles a própria genética, psicológicos, como as características da personalidade do indivíduo e socioculturais, como a influência da mídia que exalta o ideal de beleza magro.

Quais são os transtornos alimentares?

A anorexia nervosa, a bulimia nervosa e o transtorno de compulsão alimentar periódica.

O nome anorexia nervosa pode parecer enganoso, pois dá a entender que o problema central seja a falta de apetite. Na realidade, na anorexia nervosa, existe uma busca frenética por magreza associada a um medo catastrófico de engordar. Um limite de menos de 85% do peso mínimo normal para a idade e altura é utilizado com frequência no momento do diagnóstico. A amenorréia ou ausência de ciclos menstruais é característica importante do transtorno em mulheres, que respondem por 90-95% dos casos de anorexia nervosa.

Os pacientes com bulimia nervosa geralmente se diferenciam dos anoréxicos pelo seu peso relativamente normal, pela presença do comer compulsivo e descontrolado (grandes quantidades em pouco tempo) e pelo uso de medidas compensatórias, como laxativos, diuréticos, jejum e exercícios físicos, que visam evitar o aumento do peso. Têm uma avaliação de si próprios exageradamente influenciada pela forma e o peso e costumam ocultar seus problemas e práticas compensatórias por muito tempo antes de procurarem ajuda.

O transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP) é parecido com a bulimia nervosa, a diferença é que as pessoas não provocam a eliminação forçada das calorias. A pessoa come até sentir-se repleta, come geralmente sozinha, com embaraço, sem fome, sentindo-se culpada ou deprimida após os episódios de hiperalimentação. Até 30% dos pacientes obesos que procuram tratamento para perda de peso sofrem de TCAP.

Os transtornos alimentares podem levar uma pessoa à morte?

Sim. A anorexia nervosa apresenta a maior taxa de mortalidade entre todos os transtornos psiquiátricos. A mortalidade associada à anorexia nervosa é 12 vezes maior que a observada em mulheres jovens na população geral e decorre, na maior parte das vezes, das complicações cardiovasculares, insuficiência renal e suicídio.

Existe tratamento para os transtornos alimentares?

Sim. O tratamento é multidisciplinar, envolvendo várias abordagens como o acompanhamento psiquiátrico, psicológico, endocrinológico e nutricional e, em casos mais graves, internação hospitalar.

Dr. Régis Franciozi

Psiquiatra
CREMERS 30.577
regisfranciozi@gmail.com

Deixe uma resposta