Alimentação saudável no diabetes mellitus tipo 2

A incidência de diabetes tem aumentado rapidamente. O aumento das taxas de sobrepeso e obesidade, associado às alterações do estilo de vida e ao envelhecimento populacional, é o principal fator que explica o crescimento da prevalência do diabetes tipo 2. As modificações no consumo alimentar da população brasileira – baixa frequência de alimentos ricos em fibras, aumento da proporção de gorduras saturadas e açúcares da dieta – associadas ao estilo de vida sedentário, compõem um dos principais fatores etiológicos da obesidade, diabetes tipo 2 e outras doenças crônicas.

Assim, o papel da nutrição vai além da importância de uma dieta balanceada. Tem como objetivo maximizar as funções fisiológicas e garantir aumento da saúde, do bem estar e a redução do risco de doenças. Uma das grandes conquistas na área de nutrição, e mais especificamente na terapia nutricional em diabetes, é a individualização do plano alimentar, respeitando necessidades nutricionais, hábitos alimentares, estado fisiológico, atividade física, medicação e situação socioeconômica.

DASH

Alimentos com propriedades capazes de ajudar no tratamento e reduzir os riscos da doença, conhecidos como alimentos funcionais, tornaram-se aliados da população na busca da melhoria da qualidade de vida. São inúmeros os alimentos com propriedades que os classificam como funcionais. No entanto no tratamento e controle de risco do diabetes ainda há muito que se estudar. O que se pode dizer é que alimentos ricos em fibras solúveis presentes em frutas, verduras, cereais, leguminosas, apresentam efeitos evidentes na prevenção do diabetes.

Os alimentos integrais possuem fibras em sua composição que ajudam a liberar o açúcar para o sangue aos poucos. Assim, sempre que possível deve-se introduzir na alimentação os pães, macarrão e biscoitos integrais. O consumo de gordura, sobretudo, gorduras saturadas e colesterol deve ser controlado para diminuir o risco de uma doença cardiovascular, pois o diabetes é um considerável fator de risco para essa enfermidade. É importante ressaltar que as gorduras mais prejudiciais são as de origem animal.

Sendo assim, torna-se indispensável a reeducação alimentar da população, enfatizando a importância do consumo de alimentos saudáveis e com propriedades que proporcionem a redução dos riscos de se adquirir doenças relacionadas com a alimentação, como o diabetes, por exemplo. As consultas regulares ao nutricionista são muito importantes, porque ele é capaz de determinar as quantidades exatas dos alimentos de cada grupo que cada indivíduo deve comer. O paciente diabético que segue a dieta prescrita tem menor chance de apresentar as complicações tardias.

Maiana da Costa Vieira

Nutricionista Clínica Funcional

Mestre em Nanociências

CRN2 9642

Deixe uma resposta